terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Não me faça promessas


Promessas, meras promessas que não passam de palavras, vãs palavras, soltas, jogadas ao vento. Promessas sem cabimento, sem nenhum tipo de cumprimento, e grande descontentamento por parte de quem espera o seu cumprir.
Por que prometer?
Por que não fazer logo?
Pra que esperar o depois se existe o agora?
Por que não fazer no momento oportuno, sem precisar esperar um próximo?
E se o próximo não chegar, terá sido válido desperdiçar, e fazer com que o outro ansiosamente tenha ficado a esperar o grande momento chegar?
Ah promessas... Eu odeio vocês! Talvez porque eu odeie esperar, ou quem sabe talvez seja só pelo fato de eu amar viver e não saber deixar a oportunidade passar...
Não prometa nada (a mim) se não pensas tu em cumprir! Apesar de preferir ouvir ‘sim’, as pessoas também sabem ouvir ‘não’, portanto diga um ou outro, mas, não deixe de dizê-los.  Se teus atos mostram o inverso não prometa que sim... Caso contrário eu sinto em dizer, mas vais perder... Meu total apreço por você.

Nayran Mendes.
(Texto Registrado. Mencione minha autoria)

2 comentários:

Wanya Luz disse...

Belíssimas palavras!Parabéns!

Cleyde Silva disse...

Que otimo texto querida! Disse tudo mesmo.Bjs.